Transtorno Mental

Dr. André Silva Lima Dr. André Silva Lima

O transtorno mental é multifatorial, isso é, precisa ser encarado em seus múltiplos aspectos - fatores genéticos, neurológicos, psicológicos, estressores psicossociais (adventos da vida diária), além de outras doenças clínicas que podem agravar ou desencadear alguns transtornos mentais. Sem a observação acurada desses fatores a tarefa de tratar e/ou aliviar a dor do paciente não é tão simples.    

Para se entender a dor do outro é necessário ter um olhar mais profundo e iniciar com o seguinte questionamento: será que a pessoa que está em sofrimento está realmente disposta a abrir mão da causa que a levou ao sofrimento? Parece uma pergunta sem fundamento, entretanto com um olhar mais profundo na questão, veremos que é mais complicado do que se possa imaginar, já que muitas vezes o indivíduo não quer abrir mão da fonte geradora da sua dor, em muitos casos nem se dá conta dessa causa. 

Para iniciar o tratamento é fundamental que a pessoa comece se autovalorizando, isso significa que o indivíduo deve em primeiro lugar gostar de si, buscar satisfação com sua própria vida, apender que todos os obstáculos são contornáveis, pois, o sofrimento, que é uma interpretação da dor, é um alerta de que é preciso refletir nas atitudes e pensamentos que estão trazendo conflitos e buscar uma estratégia de mudança em suas ações diárias. Ter coragem para analisar a vida e mudar de conduta, alterando o seu caminho, abrir mão das emoções negativas e se esforçar, utilizando a força de vontade e a perseverança na nova estrada, visando a conquista de emoções positivas. Esse é o primeiro passo para iniciar a verdadeira libertação da causa da dor. 

Acreditar corretamente é fundamental para que a pessoa possa querer com acerto, tornando tarefa de mudança mais suave. 

Não existe conquista verdadeira sem esforço e perseverança direcionada pela vontade. 

Dar um novo rumo para a vida pessoal, valorizar a verdadeira fonte de saúde, paz e bem-estar é uma tarefa muito difícil para quem está habituado a acreditar erradamente, mas quando se vislumbra o alívio que esse esforço trará, vale a pena o trabalho a ser feito. 

E a responsabilidade por essa tarefa de conquista da felicidade é individual, não se delega a terceiros. Cada um é responsável pela própria harmonia e bem-estar ou pela própria dor. 

É necessário compreender que a sua saúde psíquica é consequência do equilíbrio dos pensamentos e emoções. Deve-se então agir de forma correta, pois não se consegue saúde gerado doença para o próximo e para si.   

Buscar a certeza de que está no caminho certo, e se surgir a dúvida perguntar se aprovaria tal atitude no outro. 

Perseverar quando estiver agindo corretamente, acionando a vontade. Fazer uma faxina mental, rompendo com os hábitos geradores de doenças é muito importante e requer muita coragem.  

Para essa tarefa de auto cura às vezes precisamos da ajuda de um profissional da saúde mental que se dedica a melhorar a vida do próximo e a entender toda essa dinâmica. 

Se necessário, tomar uma medicação, mas não ficar apenas esperando que só o remédio vá resolver o seu problema, já que os transtornos mentais são multifatoriais, como foi mencionado, logo é preciso múltiplas ações em seu tratamento. 

Ser dono de sua própria vida e assumir sua direção, definir os rumos a seguir efetuando as mudanças de forma lenta e gradativa, pois toda ação requer coragem e esforço. 

Querer realmente ser feliz e ter saúde real é muito mais do que não ter sintomas. 

Não ter preconceito e não se entregar a ele, mudar e questionar o paradigma de sua vida percebendo que somos livres para plantarmos, porém, a partir das escolhas, do plantio das sementes tornamo-nos escravos da colheita, no entanto, sempre teremos sempre a opção de plantarmos novas sementes se a colheita estiver permeada de dor e sofrimento. 

Ser feliz e ter saúde são metas de relevante importância. Lembrar sempre que ter saúde mental é viver de forma harmônica, e isso só é conquistado com o seu equilíbrio entre o ter e o ser. E é sempre uma escolha individual.